quinta-feira, 11 de março de 2010

Noutra geração

A vida de uma flor é curta
Os cheiros e a cor são sempre iguais.
Bebe as águas que lhe dão
Derramando em pétalas
A vida sobre o chão.
E em breve se esfuma
Noutra geração.

A vida de um romance é breve
Só lhe reforça a alma o que dele se escreve.
Toma-se ao sabor de um chá
Leve e perfumado
Em celebração.

E em breve se esfuma
Noutra geração.

A vida de uma história é nobre
Só quem lhe busca o fundo no fim a recolhe
Desce ao fundo de um porão
E nele se acaba
Sem continuação
E em breve se esfuma
Noutra geração.

E nele se acaba
Sem continuação
E em breve se esfuma
Noutra geração.



Vozes da Rádio

(Há coisas da vida que me deixam a pensar nisto. E vem-me um sorriso aos lábios.)


3 comentários:

mpr disse...

ia publicar uma cena do género

"LOLFAG"

ou

"e depois começas a dar beijinhos em barbudos."

mas não. vá lá, o poema é bonito.

Street Fighting Man disse...

os vozes da rádio cantam isso?
muito bom mesmo

Ary disse...

É verdade. Descobri não CD deles que tinha cá por casa.

Enviar um comentário