domingo, 9 de novembro de 2008

Regulamento v1.1

Novo regulamento de acordo com as alterações que ficaram decididas. Aproveitei para corrigir um ou outro aspecto menos claro no regulamento e para eliminar um ou outro formalismo que nunca foi verdadeiramente usado.

2 comentários:

Manuel disse...

não sei onde deixar este comentário, mas deixo-o aqui e na "Discussão ao Regulamento" mesmo que esse link seja dedicado à discussão do antigo regulamento.

crítica:
2. Podem ser usadas expressões de uso corrente em qualquer língua, bem como frases curtas e de fácil compreensão em inglês, francês, espanhol, italiano e latim.
3. É igualmente possível o recurso a qualquer língua estrangeira, desde que o autor faça de imediato a tradução para português.

no artigo três do nosso regulamento.
não compreendo bem a complexidade por detrás de tal artigo.
1. estamos perante um problema de ambiguidade ou há mesmo uma diferenciação entre a lingua francesa e, por exemplo, a alemã?
2. porquê só frases curtas? não importa apenas a sua tradução?
3. não é a fácil compreensão um conceito subjectivo?
4. o busílis do artigo não será, em caso de um uso mais complexo de uma lingua estrangeira, da sua tradução? que deveria até, e isso eu já achava uma justa extensão das competências "programatórias" do regulamento, ser exigida por parte da mesa a tradução de alguma expressão que tivesse passado despercebida?
5. no caso de eu dizer então, "Wilkommen", terei de traduzir por estar a falar em alemão? e se eu disser "Thou art not to arm the brethren!" em iglês arcaico, poderei passar ao lado?

o regulamento continua muito subjectivo, pouco claro, mais adequado a literatura que à linguagem técnica que se exige.

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Manuel, não vejo muito bem o alcance das tuas críticas. Denuncia uma certa infantilidade jurídica essa tua aversão às cláusulas indeterminadas e, para mais, nada do que está nesses números é novo.

O que importa não é a tradução é a compreensão.

Sim, é subjectivo.

Não, não é um problema.

Graças a Deus temos nascemos todos com dois dedos de testa e para as zonas cinzentas há perguntas ao orador e, eventualmente, intervenção da Mesa.

Wilkommen poderá ser considerada "expressão de uso corrente".

Essa frase não me parece de fácil compreensão, apesar de curta.

Enviar um comentário