terça-feira, 17 de novembro de 2009

Esta casa acredita nas virtudes da discriminação positiva

O trigésimo quarto debate opôs três estreantes, dois dos quais do primeiro ano, num debate onde o PM Rui Borges procurou fazer valer a sua experiência através de uma definição da moção que andava na margem da legalidade, mas que lhe era muitíssimo favorável, pois dava pouca margem de manobra aos seus oponentes.

O debate, apesar de se ter perdido um pouco pela falta de confronto de ideias e pela repetição dos argumentos de parte a parte, não deixou de ter pontos altos: Rui Borges deu uma definição inteligente, Irma Laura deu cartas tendo recebido um forte apoio que recebeu do público, Capitão Moura surpreendeu com um discurso articulado e Pointer presenteou-nos com um dos discursos mais estruturados a que assistimos.

Não foi certamente por medo do público que os nossos oradores não fizeram melhor, mas talvez por falta de argumentos e sobretudo por causa de uma definição que acabou por matar o debate à partida.

No final vence a equipa do Governo, com 132 pontos, contra os 126 da Oposição.

Governo:
Rui Borges: 65 pontos
Pointer: 67 p.

Oposição:
Capitão Moura: 61 p.
Irma: 65 p.








2 comentários:

Txikia disse...

dEscriminação?! ai estou baralhada

Ary disse...

...

Obrigado pela correcção.

Enviar um comentário