sábado, 23 de janeiro de 2010

o 4º poder: manipulação

Já repararam na forma como o assunto Gripe A foi varrido da abertura dos telejornais, das capas dos jornais, dos debates nos telejornais, em programas de entrevistas, do assunto geral e comum a todos os media?
O novo pânico já não se centra na gripe, existe hoje um novo medo: sismos. Aliás, são tantos, todos os dias acontece um novo! Ou será que agora todos passaram a ser noticiados?
A nova miséria que conquista audiências não é vacinas, máscaras, o caos da economia pelas numerosas pessoas a ficar de baixa, nem sequer o perigo dos transportes públicos. Muito menos a conexão entre mortes e a tomada da vacina da Gripe A, nem as novas mutações do vírus ou haver vacinas a menos e depois vacinas a mais. É o Haiti.
Esqueçam o desinfectante das mãos e o espirrar nos lenços de papel ou nos antebraços, do que precisamos é de ombreiras das portas que sejam resistentes!

8 comentários:

Ary disse...

Eles são estão a dar às pessoas o que elas compram. Quanto a este tipo de assuntos eu gosto de recordar os ensinamentos de um distinto professor de Cambridge especializado em gestão e avaliação de riscos. O homem pensa todos os dias nos riscos inerentes a .... tudo ... desde de comer bacon de manhã em vez de flocos de aveia, até ir de carro ou de bicicleta para o emprego, e disse um dia que depois de tantos anos de pesquisa e investigação a grande conclusão a que chegou é que o maior risco é não tomar riscos e vivermos uma vida com medo de viver. Algum dia vamos morrer, se não for com a Gripe A vai ser com um sismo, ou num acidente de automóvel, ou mais provavelmente com um AVC (principal homicida em Portugal). É isso vou fazer um post sobre o AVC e lançar o pânico!

Daniela Ramalho disse...

Mas é incrível a forma como eles conseguem controlar a forma como as pessoas vivem ou o que elas sentem em relação a certas coisas... Daí ser muito perigoso às vezes a forma como os media abordam certos assuntos!
Facilmente consegues ter uma população em pânico com qualquer assunto que seja, mesmo que na realidade não seja assim tão perigoso. Lembra-me a questão da Gripe A ou mesmo das aves.
E sim, viver condicionado por este tipo de medos é bastante preocupante e um desperdício.

Ary disse...

O poder dos media de facto é inacreditável.

Ary disse...

Qual quarto poder ... eles mandam nos outros três, ou pelo menos em dois deles!

Ary disse...

Agora que me leio tenho uma certa vontade de voltar a trás no que disse. Se é verdade que eles têm muito poder e que muitas vezes é eleito quem tem boa imprensa e não quem mais a mereceria, também não posso negar que o trabalho dos media também é muitas vezes condicionado por outro tipo de poderes, nomeadamente os económicos. E depois há algo que é superior a tudo isto que é o nosso poder enquanto espectadores, ou enquanto cidadãos, ou enquanto consumidores. Somos nós que mudamos de canal, que votamos, que compramos e se o nosso contributo por si só de nada vale é a agregação dos movimentos das nossas preferências que influenciam a maneira como os outros poderes se comportam e esse não é um poder a menosprezar. É a nossa falta de educação, de informação, é a nossa impulsividade, são os nossos preconceitos, são os nossos medos irracionais, são os nossos desejos e caprichos que alimentam e são alimentados por maus políticos, maus jornalistas ou por forças do mercado oportunistas. O poder deles está na nossa falta de discernimento.

Daniela Ramalho disse...

Sim, mas em muitos casos podes mudar de canal as vezes que quiseres que vai estar sempre a dar a mesma coisa! Há casos em que não tens alternativa e eles sabem muito bem como manipular as massas. Aliás, muitas das vezes forçados ou patrocinados por esses outros poderes de que falas.
Mas concordo contigo quando dizes que passa um bocado pela nossa educação e informação, mas a verdade é que regra geral são também eles que criam essa mesma educação, formação, opinião, como lhe quiseres chamar.

Entretanto lembrei-me que não só os media têm essa capacidade de mover as pessoas. Por exemplo, lembro-me de que quando fui a Paris, se vivia a histeria do "Código de Da Vinci", e de no Louvre estarem filas intermináveis e pessoas doidas para conseguirem ir ver melhor e tocar no sítio onde está a pirâmide invertida e onde de acordo com o livro se encontrava o Graal sepultado. É bizarro como as pessoas conseguem ser tão facilmente manipuladas, mesmo sabendo-se de antemão que o livro era ficção!
Somos uns bicharocos curiosos :)

Duarte Canotilho disse...

Se 1 quer, outro poderá querer. Se 1000 querem, então 5000 já quererão!!! A verdade é que nos funcionamos essencialmente pela dinamica da sociedade. E hoje em dia quem dá a dinamica a sociedade é a tv e o cinema. Se na TV o vitorino diz que a candidatura do manel alegre é má porque é prematura, e não pode ser transcendente porque o Bloco foi o primeiro a apoiar, então se 5000 pessoas viram isso, entao 20000 irao pensar o mesmo... é um logica má!!!

Duarte Canotilho disse...

Quanto aos riscos. Todo o risco bem calculado vale a pena.
Se pensarmos que cada vez que fazemos sexo pode rebentar um preservativo e apanharmos uma doença, se pensarmos que sempre que saimos à rua num dia de chuva nos pode cair um raio em cima, se pensarmos que sempre que atendemos o telefone há uma probabilidade de 2% de ficarmos surdos desse ouvido... pah entao mais vale não viver LOLOLOL

Enviar um comentário