domingo, 25 de abril de 2010

25 de Abril

Sentimos sempre por ocasião destas efemérides a necessidade de escrever algumas linhas sobre o dia que nos trouxe um feriado, este, por felicidade ou infelicidade, a um Domingo. E deve ser esta a perspectiva porque muitos vê o 25 de Abril: mais um feriado.


O presente é tirânico e monopolista e por muito importantes que as coisas tenham sido no passado só lhes damos a importância que elas têm no presente. E isto não é bom nem mau em si, mas apenas o pode ser nos reflexos que tem noutras coisas. Isto é como é e temos de o encarar assim: por fantástico que tenha sido o Porto ganhar uma data de campeonatos seguidos desta vez vai ser o Benfica campeão e por muito que o 25 de Abril tenha fechado a porta de quase meio século de ditadura, por muito que tenha sido um acontecimento de tremenda importância na história portuguesa e um acontecimento relevante no contexto da história europeia a verdade é que progressivamente ele perderá importância simbólica para o grande público à medida que as conquistas de Abril vão cada vez mais sendo consideradas dados adquiridos e não como genuínas vitórias.

Isso não deve entristecer todos os que prezam as portas e janelas que abriu Abril, mas lembrar-nos que a luta por um Portugal "livre, justo e fraterno" não é algo que esteja lá atrás num passado cada vez mais distante, mas algo para que todos somos chamados a construir aqui e agora. É isso que neste dia me faz sorrir, agradecendo o peso da tocha que nos foi passada, pois se ela não pesasse era porque já não tinha mais por onde arder. 

"(...) Falta cumprir-se Portugal".

3 comentários:

Francisco disse...

Estou a ouvir a Gaivota... "Somos livres"!
Um obrigado sincero por escreveres estas linhas. Ainda há quem...

Um grande abraço e um dia da liberdade ainda maior.

Ary disse...

A minha banda sonora é o "Tanto Mar" este ano.

Enquanto houver quem perceba haverá quem escreva.

Abraço

Daniela Ramalho disse...

Se há algo que o passado às vezes pode fazer-nos é dar-nos um empurrão para a frente. Sempre que ao ver as imagens de abril se aperta a barriga e fico com os olhos em lágrimas, percebo que neste tempo todo não fizemos assim nada de especial. E isso é de facto triste.
Ontem em conversa com um amigo no piolho, ele dizia que existem muitas coisas que herdámos do estado novo e que nos impedem de avançar. Muitas deles repetimos todos os dias e nem percebemos a sua raíz. Num momento em que muitos tentam ridicularizar Abril, é preciso quem fiquei na fila da frente a lutar, porque de facto ainda falta cumprir-se muita coisa nesta terrinha :')

Enviar um comentário