sábado, 14 de fevereiro de 2009

O meu dia de S. Valentim

R (23): Vamos imaginar que tu ias para Erasmus e tinhas um namorado cá ...

M (15): Mas eu não ia para Erasmus com um namorado cá. Eu acabava com ele antes de ir ...
A (15): O quê?! Mas tu estás parva? Isso não é amor! Tu estás a acabar com quem amas para não o trair, mas quem ama verdadeiramente não traí.
M: Mas eu se for para Erasmus quero viver a experiência ao máximo, quero ...
(risos)
P (20): Acho que a M simplesmente tem é uma noção mais "universalista" do Amor ...
(risos)
M: Sei lá ... Faz parte da experiência ...
R: O quê? ... Trair?
P: Eu gostava era ter aqui uma máquina do tempo para podermos ver o que acontecerá daqui a 5 ou 6 anos. Será que continuaremos todos a ter as mesmas posições? Será que fizemos o que dissemos que fariamos? Será que estaremos mais ou menos felizes por isso?
R: Não que preocupes que daqui a 6 anos estaremos todos aqui de novo a falar sobre isto.

(...)

A: Eu quero casar e construir uma família com cinco filhos. Isso sim é um projecto de vida.

(...)

R: Ele estava a tentar fazer uma "transição suave" queria acabar com uma e passar logo para a outra, mas sem aquela coisa do luto pelo meio. E andou uns meses com as duas. Até que eu lhe digo: Sê uma homem uma vez na vida e acaba com as duas. "Ei tu estás louco! taratata" E acabou com duas. Depois veio falar comigo: "Tu nem sabes o que é poder respirar, não olhar para os dois telemóveis e não ter três mensagens".

(...)

R: Mas eu acho que casar com a primeira pessoa com quem se namora é sorte a mais, é acertar logo à primeira ... Bem, mas eu acho que vou casar com a minha primeira namorada ...
F: Mas tu ...?
R: Sim, mas lá por ter acabado com ela isso não quer dizer nada. Eu posso ter montes de namoradas pelo meio, que sei que lá para os 30 vou casar com ela...
F: Mas ...
R: Simplesmente não estávamos preparados. Não era a altura certa ...

(...)

R: É impossível não olhar para o lado. Se não olhares, das duas uma: ou não és homem, ou és cego! Agora tocar é diferente ... [ver é com os olhos]. Mesmo estando perdidamente apaixonado, sei lá, no primeiro ano e meio ... (...) Já sei o que me vais dizer, que é preciso renovar a relação, mas isto não acontece ao fim de dois anos, é tipo ao fim de uns quatro ...

10 comentários:

Ary disse...

Ah, eu escrevi isto porque não faço ideia do que é que se pode retirar daqui.

Telmo disse...

eu tb nao retiro nada deste texto lol e posso resumir o meu dia de S.Valentim a 4 palavras: estudo oral melhoria economico! lol abc

Ary disse...

Eu retiro qualquer coisa, só não sei bem o quê. Queria agradecer à Inês ter-me introduzido a este tipo de posts =)

Daniela Ramalho disse...

o que eu retiro é que se isso é uma conversa de homens, eu penso como um homem :O

Daniela Ramalho disse...

ah, e hoje de tarde tive uma conversa parecida em certas partes com esta. é chocante também :)

Ary disse...

Não Daniela, é uma conversa com três homens e duas mulheres.

Pipette disse...

Cuidado, Ary, este tipo de posts torna-se uma coisa viciante :p também não sei bem o que retirar daqui...mas deixou-me a pensar..

Ary disse...

Inês, vou ter cuidado...

Foi exactamente o que eu senti: eu devia estar a tirar alguma coisa daqui, mas não sei bem o quê.

Daniela Ramalho disse...

ufas... espero então ter concordado com a parte das mulheres. o que se tira essencialmente é que começamos a pensar em coisas sérias. é isso. :p

Ary disse...

Não sei com que é que concordaste ....

Enviar um comentário