terça-feira, 25 de agosto de 2009

Do meu email - Migração

Aos Mu?ulmanos que querem viver de acordo com a lei do Sharia Isl?mico foi-lhes dito muito recentemente para deixarem a Australia, no ?mbito das medidas de seguran?a tomadas para continuar a fazer face aos eventuais ataques terroristas.
Aparentemente, o Primeiro-Ministro John Howard chocou alguns mu?ulmanos australianos declarando que apoiava ag?ncias-espi?s encarregadas de supervisionar as mesquitas da na??o.


Cita??o:


"OS IMIGRANTES N?O-AUSTRALIANOS, DEVEM ADAPTAR-SE. ? pegar ou largar! Estou cansado de saber que esta na??o se inquieta ao ofendermos certos indiv?duos ou a sua cultura. Desde os ataques terroristas em Bali, assistimos a uma subida de patriotismo na maioria dos Australianos.


A nossa cultura est? desenvolvida desde h? mais de dois s?culos de lutas, de habilidade e de vit?rias de milh?es de homens e mulheres que procuraram a liberdade.
A nossa l?ngua oficial ? o Ingl?s; n?o ? o Espanhol, o Liban?s, o ?rabe, o Chin?s, o Japon?s, ou qualquer outra l?ngua. Por conseguinte, se desejam fazer parte da nossa sociedade, aprendam a nossa l?ngua!


A maior parte do Australianos cr? em Deus. N?o se trata de uma obriga??o crist?, de influ?ncia da direita ou press?o pol?tica, mas ? um facto, porque homens e mulheres fundaram esta na??o sobre princ?pios crist?os, e isso ? ensinado oficialmente. ? perfeitamente adequado afix?-lo sobre os muros das nossas escolas. Se Deus vos ofende, sugiro-vos ent?o que encarem outra parte do mundo como o vosso pa?s de acolhimento, porque Deus faz parte da nossa cultura.



N?s aceitaremos as vossas cren?as sem fazer perguntas. Tudo o que vos pedimos ? que aceitem as nossas e vivam em harmonia e em paz connosco.



ESTE ? O NOSSO PA?S, A NOSSA TERRA, E O NOSSO ESTILO DE VIDA. E oferecemos-vos a oportunidade de aproveitar tudo isto. Mas se voc?s t?m muitas raz?es de queixa, se est?o fartos da nossa bandeira, do nosso compromisso, das nossas cren?as crist?s, ou do nosso estilo de vida, incentivo-os fortemente a tirarem partido de uma outra grande liberdade autraliana: O DIREITO de PARTIR. Se n?o s?o felizes aqui, ent?o PARTAM.
N?o vos for?amos a vir para aqui. Voc?s pediram para vir para c?. Ent?o, aceitem o pa?s que vos aceitou".


PS: Não concordo minimamente com nada, ou quase nada, do que aqui é dito. Só posto porque acho que esta é uma mentalidade que cada vez mais vai ganhando adeptos e tenho a esperança de que da discussão surjam algumas ideias interessantes sobre o tema.
PPS: Peço desculpa pelos pontos de interrogação. Apenas copiei o que me mandaram.

2 comentários:

Manuel Pinto de Rezende disse...

não basta dizeres que não concordas.

não concordas com o quê? que a Austrália foi construída sobre valores inspirados no cristianismo? é que isso já passa da discussão política, tem a ver com cultura histórica.

eu concordo que a democracia autraliana tem muito de influencia da igreja cristã protestante, de facto, penso ser bastante credível.

depois, a introdução do email é uma bela treta. em todo o texto, o PM australiano nunca se refere a espionar os muçulmanos nas suas mesquitas.

o que está em causa é a imposição da Lei da Sharia. isso sim, é que eu não concordo.
um país ocidental não deve aceitar os pressupostos da Sharia. por muito penoso que pareça a alguns sectores a perda de uma parte da comunidade islâmica, é infelizmente um mal necessário.

Ary disse...

Manuel, para bom entendedor acho que duas palavras bastaram.

Enviar um comentário