sábado, 18 de abril de 2009

coisas*

Engraçado, num anúncio de Tv, aparecia uma pequena chamada de atenção a umas entrevistas feitas em tempos à Agustina Bessa Luís (penso que não estou errado). Nesse mesmo anúncio, o seguinte comentário, tal como se tratasse da absoluta verdade:

"As cartas de amor, as verdadeiras cartas de amor só podem ser escritas pelos homens"

Pensei durante certo tempo nisto e é bem verdade (visto nunca ter lido uma carta escrita por uma mulher tão intensa tão quente como as dos homens)... Parece que nós, homens (até frios) somos os que conseguem lidar melhor com a simbiose entre a palavra e o amor, não é assim?

10 comentários:

Cláudia Isabel disse...

Na minha opinião( se ma permitem) , a questão não é que os homens saibam lidar melhor com a simbiose entre a palavra e o amor, mas sim, tal como na arte de cozinhar ou do cabeleireiro, o sexo masculino se sobressai com tanta qualidade, penso que a questão reside no facto de as três actividades parecerem banais nas mulheres vistas como lamexas, feitas para estarem na cozinha e as únicas preocupadas com o cabelo, e nos homens dado a sua frieza e machismo quando revelam um lado mais sensível tornam-se mais acolhedores, encantadores e adoráveis e até uma excepção. e as mulheres gostam disso, e eu pessoalmente admiro que eles saibam fazer estas coisas tão bem... Admiro principalmente um homem que consiga fazer a simbiose entre palavra e amor no papel, deixando cair a mascara machista, bruta e arrogante... mas isso não significa que o façam melhor, significa que não é tão comum..

Ary disse...

Acho que verdadeiramente não concordo com ambos.
Há cartas de amor escritas por mulheres que são notáveis, mas o género ainda não está muito divulgado e portanto é mais difícil chegar a um determinada elevação. É muito mais fácil fazer algo que muitos já fizeram, se bem que a outra face da moeda é que é mais difícil fazer algo original.

Cláudia, claramente há aí problemas por resolver... Nem me atrevo a ir muito mais longe, porque todos os muros do dogmatismo só podem ser destruídos por dentro.

Claudia Isabel disse...

Nem perguntarei o que queres dizer com isso porque me pareceste bastante perspicaz na leitura que fizeste do que eu escrevi... E isso não é algo que irei expôr aqui..

mas admito ler isso foi quase puxar o tapete debaixo dos pés.. e cair de seguida sem saber bem o que responder ou pensar do comentário..

Mas até os dogmas mudam, quando o que há por resolver se resolve mas até lá firme e teimosamente batendo na mesma tecla..

Telmo disse...

3 palavras: bioquimica do amor. :) Acho que mais importante do que o conteudo de uma carta de amor é a intençao com que a mesma foi escrita. (e nisso é indiferente o sexo) As cartas mais interessantes e conhecidas sao escritas por homens porque sao estes que se dao ,normalmente, ao trabalho de o fazer. As mulheres gostam mais de ler... lol

Francisco disse...

Como dizia o valter hugo mãe, os homens não sabem nada sobe as mluheres. Porque são pouquíssimos os testemunhos das mulheres na história. Mesmo quem escreveu sobre as mulheres, mesmo quem as elogiou, mesmo quem as endeusou, foram... homens. Os homens não conhecem s mulheres. Não se se fui muito claro como o escritor, mas quando ele disse isto eu concordei absolutamente.

Ary disse...

Acho que os homens não saberem nada sobre as mulheres é tão verdade quanto o contrário e que não tem nada a ver com o papel que elas tiveram ou deixaram de ter na história tal como ela chegou até nós.

Tenho quanto a este assunto uma posição firme e, pelo que tenho visto, pouco consensual: homens e mulheres não são assim tão diferentes. Os desejos, os problemas, os sonhos, os mitos, as miragens, são todos passíveis de tradução e todos eles radicam no mesmo tipo de sentimentos.
Homens e mulheres funcionam de maneira muito semelhante e a maioria das diferenças são induzidas por uma educação que caminha no sentido da homogeneização, sobretudo desde a "revolução sexual" em meados do século passado.

O resto são tricas...

Francisco disse...

Ary,

Felizmente, não estás sozinho. Aliás, até já o devias saber, pois já por aqui discutimos isso. Homens e mulheres funcionam de forma muitíssimo parecida. Para ser sincero, nem me recordo na minha tenra existência de pensar alguma vez o contrário...

O que eu quis dizer, ou melhor, o que o valter hugo mãe quis dizer, é que quando se fala em mulheres, analisa mulheres, estuda mulheres, filosofa sobre as mulheres, quem está por detrás dessas análises, estudos e ensaios, são homens. São poucos (hoje cada vez mais, felizmente!) os testemunhos desses estudos e análises sobre as mulheres feitos por.... mulheres.

Ary disse...

Os "Women Studies" têm sido feitos também por mulheres nas últimas décadas ...

Txikia disse...

É verdade sim Sr. e eu até arriscaria tirar o "também" das palavras do Ary, porque são realmente as mulheres que nas últimas décadas se dedicam a sério aos women studies.
E já agora, aproveito o tema para vos chamar a atenção acerca da participação da Doutora Maria José Magalhães na Conferência "Direitos Adquiridos? Os Direitos Humanos em Portugal", desde sempre ligada às questões de género, tem feito imenso trabalho de investigação nesta área e ninguém melhor do que ela para falar sobre o assunto :)

Ary disse...

"Também" estive para tirar o "também", mas à cautela ...

Enviar um comentário