quarta-feira, 23 de julho de 2008

Devagar se vai ao longe...

Um pequeno vídeo e a frase surgiu.
Através do olhar atento da câmara, os intervenientes procuraram, em quinze minutos, defender a "sua" posição. Quinze minutos para procurar encontrar falhas, pequenas ironias, um discurso eloquente. Quinze minutos para, em apenas sete, conquistar o público e destruir o adversário.
Alguns com mais experiência, outros (como eu) com os nervos à flor da pele, mas tentando aparentar a calma por que tanto ansiavam (afinal de contas uma simples gota de suor já fez perder eleições).

Entre argumentos a favor e contra, chegou a minha vez. Uns têm mais facilidade para falar, outros para escrever. Digamos que a arte da oratória não é uma das minhas qualidades, mas não foi isso que me fez desistir.
"Subi ao púlpito" e dei o meu melhor. Talvez o meu melhor não tenha sido grande coisa... mas será uma pedra no caminho que nos deve fazer desistir?
Eu não acho. Considero que o primeiro passo foi dado e o importante agora é continuar. Só lutando contra nós mesmos, só enfrentando os nossos medos é que conseguiremos ultrapassá-los.
E, na minha opinião, esse é o objectivo da sociedade de debates. Ajudar os bons a ser melhores e os maus a ser bons e quem sabe um dia a ser tão bom como os bons.

É tempo de voltar à Grécia e aprender a arte da retórica, é tempo de participar.

4 comentários:

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Já tens os videos? =P

Daniela disse...

luísa, estiveste muito bem. foi apenas a tua primeira vez e para o ano espero que voltes a aparecer e quem sabe ainda faremos uma dupla feminina campeã de debates. eheh

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Eu também acho que estiveste bem. Tiveste 65 acho eu. É um 13, já te sobe a média ehehe.

Pipette disse...

É assim mesmo, Luísa. Tive pena de não ter podido ver, mas não perco o próximo.. sim, porque este é o primeiro de muitos, certo? ;)

Enviar um comentário