terça-feira, 15 de julho de 2008

relíquia de direito natural

Alejandro de Hales (1185-1245)
Compara a lei natural ao sol que sempre reluz, se bem que em caso de eclipse, por se interpor entre o sol e a terra um corpo estranho, deixe de iluminar, i.é., deixe de receber luz. Assim, a lei natural reluz sempre mas nem sempre ilumina, nomeadamente se se interpõe as tibiezas do pecado.

2 comentários:

manuel disse...

flores de derecho, non?

tiago ramalho disse...

nao..as flores de direito são uma traducao do codigo visigotico, ne?

Enviar um comentário