segunda-feira, 7 de julho de 2008

Do Eu para o Vós nasce o Nós (2)

Novamente retirado desse mundo de vivências que dá pelo nome de universidade júnior.

Quatro jovens de cerca de 13 anos jogam futebol. Ou algo de semelhante. Não se vislumbram balizas, mas elas lá deverão existir naquelas mentes férteis. Não se afigura bola alguma, mas parece que para os ditos a mesma é representada por uma lata de refrigerante esmagada. Como que uma bola em sentido impróprio. Para o observador é notório que um vai marcar um livre. Um livre que é marcado mais ou menos do local onde ficará a baliza imaginária da equipa que representa (ou em que eu imagino que fique, porque o observador sou eu, claro está). Prepara-se, corre, remata. Ou chuta. O guarda-redes que também é defesa, médio, avançado, pivot, ala, ponta de lança, trinco, líbero, centrocampista, central, lateral e bombeiro de serviço, defende.

Comentário do camarada de luta:
"eu tenho um guarda redes impenetrável".

Não diria melhor. Alguém seria capaz de o fazer?

12 comentários:

Guilherme Silva disse...

O guarda-redes não era o Ricardo decerto...

manuel disse...

e o Guilherme acaba de estragar um belo momento.

Daniela disse...

eu apenas consigo imaginar o tiago escondido atrás dos arbustos com uma gabardina e bloco a captar todas as conversas dos miúdos da universidade júnior. será que não há ninguém que tenha de estudar?

Guilherme Silva disse...

Também foi a jogar com latas de refrigerante que adquiri este poder fantástico de remate. Tu sabes do que falo Tiago... :D

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

=D Tiago,

deves sentir-te mesmo muito isolado por Letras para prestares tanta atenção e a estes pormenores da vida pré-adolescente ...

Um abraço solidário,

Ary

Francisco disse...

O meu guarda-redes é... inviolável?

tiago ramalho disse...

1. Manuel, tens toda a razão! Este momento é belo! O que me leva ao segundo ponto,
2. Daniela, não fazes ideia de como isto faz parte do imaginário colectivo dos rapazes. São recordações belas, delicadas, ´frágeis. Esse tempo em que uma lata tão esmagada era uma bola! É óptimo de lembrar!
3. É que depois de jogarmos à lata jogamos à bola. Uns ganham um poder de remate fantástico, como o guilherme. E para além disso têm o grande piço de rematar, a bola razar o poste e entrar. Mas ficam em 3º na d league :P
4. Ary, é verdade. O meu isolamento da hora do lanche leva-me a prestar atenção a estes pormenores. Sou eu e o mundo, eu com o mundo, e esse mundo é a Universidade Júnior, yuppi.
5. Volta a ti daniela. Não uso gabardina nem me escondo atrás de arbustos. Mas quase...Faço ar de quem não quer a coisa e de quem ignora os miúdos e vou atento. Penso, observo, verto a escrito! ah pois.
6. Noronha, nem mais. Inviolável. O único distinto membro da sociedade de debates que consegue utilizar um melhor termo que o miudo de 13 anos.

Abraço

canoas_o_Mercenário disse...

O tiago.... tem .... Mt tempo livre MT MT tempo livre...
Se calhar quer relembrar tempos que ja la vão... se calhar quer a nostalgia da sua juventude perdida...
Quanto a mim n me perco nesses devaneios... provavelmente existem pessoasna universidade junior que são mais velhos k eu (pa variar) ...

é nestes momentos que me sinto mm jovem
LOool

PS: Noronha... tens de ser sempre inoportuno?? Tens de implicar sempre com algo neste blog??? Ou simplesmente queres-te mostrar uma pessoa diferente da que és??

Tiago(gmr) disse...

Gostei Gigi, gostei!
Grande golo naquela meia final, pena termos perdido msm quase no fim...

Guilherme Silva disse...

Fomos roubados meu caro... :D

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Canotilho a disparar em todas as direcções! Afinal não te perdemos. Continuas a mesma criança =)

tiago ramalho disse...

Claro, claro que foram roubados. Por isso é que o jogo nem aos penalties foi..:P Montanelas foram a melhor equipa e, por isso, foram campeões :D

Ari, é exactamente isso!

Enviar um comentário