terça-feira, 8 de julho de 2008

Política ou moda?

"Meu caro colega como está? Parece mesmo um Social Democrata! Camisinha azul clarinho, pólozinho sobre os ombros... Sim Senhor!"

"Fascistas! Se era eu que fazia essas figuras por causa desses morcegos..."

"Tem pinta de esquerda. Aqueles farrapos à hippie não enganam"

Tive o privilégio de escutar estas frases nos últimos tempos, o que me levou questionar uma série de pressupostos da ciência política.

A orientação política dos dias de hoje será uma questão de ideologia, de crença em determinados valores que se compatibilizam mais com certos partidos do que com outros? Ou será a vertente estética aquela que caracteriza mais fielmente as facções partidárias?
Terá mais credibilidade no seio dos votantes o partido com melhor programa, com argumentos mais sólidos e soluções mais viáveis? Ou será o mais fashion?

Considerando o modo como se têm diluido as diferenças (na prática) entre os partidos de "esquerda" e de "direita", não me admiraria que o dress code se tornasse o critério de distribuição pelas bancadas da AR.

5 comentários:

canoas_o_Mercenário disse...

MT Bem VImarani... Este é um post que eu gostaria de ter criado!!!!

É verdade que aquando da minha experiencia de jovem revolucionario havia um dress code minimo, nomeadamente aquando de iniciativas, onde o pessoal jovem, não usava roupa de marca.. LOL
Implicaram comigo por eu ter uma t-shirt da GANT... LOOOL

Acrescentaria mais à tua lista
"olha aquele é careca e tem musculos... NAZI ou do PNR so pode.."

"Não usa gravata... é do BE"

"Usa Jardineiras... é operario ou campones logo é do PCP"

"Tem um fato Armani e um ar meio amaricado... é do PP" (esta não é minha mas ouvi mts vezes isto aquando da minha estada no BE) LOOl

canoas_o_Mercenário disse...

Ja agora... seria interessante ver, se fossem organizados os lugares tendo em conta o dress code, pessoal que porque tinha o fato a lavar ou porque não tinha outra roupa senão o fato, a ter de se sentar no meio de outra força politica...

Ex: Imaginem sei la... numa hipotese extrema... k o paulo portas so tinha a camisa havaiana que usara em woodstock 1968 tinha de ir para o pé da extrema esquerda

Ou o Louçâ que num momento de vaidade resolveu exprimentar aquela gravata bonita que lhe deram nos anos... e devido à sua inexperiencia n conseguiu desatar o nó.. e teve de se sentar no meio dos PP's...

Não era altamente a AR ter o pessoal das varias cores politicas todos Misturados....
XD .... Altamente

tiago ramalho disse...

https://www.blogger.com/comment.g?blogID=6860368351742386854&postID=1084997567881056232

este post vai muito ao encontro do teu. e os comentarios tambem. abraco

Daniela disse...

pode parecer absurdo, mas de facto tem um bocado de sentido na realidade. é possível detectar o pessoal da esquerda ao longe, basta olhar para os cabelos que ostentam.invicta

tiago ramalho, também pescador disse...

É o problema já abordado no outro post. Cliché político, padrões sociais....
A maior parte dos rapazes de 13/14/15/16/17/18/19/.. anos, com diferença de graus de incidência, se for de esquerda "muito a sério" tem de ter ao menos uma tshirt do Che, gostar de teatro, não censurar o grafitti, ser completamente a favor de qualquer grande "causa" social (ainda que não se justifique) e, pelo contrário, não gostar de cultura dita "erudita" que já e de conservador, ser completamente contra a ordem, contra o sistema e tudo o mais.

É um quadro que se impõe. São presunções que se impõe. Ao longo da vida o jovem vai ilidindo-as e vendo que, afinal, há coisas que fazia sem lógica alguma.

O actual ministro da cultura é da chamada esquerda caviar. Porquê? porque rompe com o dress code e os próprios "gostos", opções, hobbies de quem se diz de esquerda muito a sério.

Enviar um comentário