domingo, 6 de julho de 2008

Esta casa acredita que mais vale ter jornais e não ter governo que ter governo e não ter jornais

"The basis of our governments being the opinion of the people, the very first object should be to keep that right; and were it left to me to decide whether we should have a government without newspapers or newspapers without a government, I should not hesitate a moment to prefer the latter. But I should mean that every man should receive those papers and be capable of reading them." Thomas Jefferson a Edward Carrington, 1787.

10 comentários:

manuel disse...

estes pais-fundadores percebiam do assunto.

Tiago Ramalho disse...

O problema hoje é que a oppinio populi dificilmente é formada conveniente. Raramente os jornais hoje têm como princípio central uma informação séria, livre e esclarecida. Numa sociedade de massas também os jornais são de massas; o objectivo passa essencialmente por vender. E, se der, informar um bocadinho...
Haverão certas excepções. Mas, grosso modo, este é o panorama. Governo com ou sem jornais, não escolho. Escolho governo para o bem-comum. Sem governo é que não.

HugoFdup disse...

Ari...achas k devemx transcrever toda a nossa espectacular argumentação à hora de almoço, sobre este tema?
:D

manuel disse...

caro Tiago, tens toda a razão.
no entanto,como sinal de que a liberdade prevalece sempre, e prevalece naturalmente, de forma a combater a falta de boa informação, tens os blogues.

quanto à dualidade governo sem jornais, jornais sem governo...
há uma pequena república em áfrica que não tem poder centralizado há quase 10 anos. depois do poder cair após um golpe militar, estes esqueceram-se de instaurar um novo.
o mais curioso é que a qualidade de vida, o número de escolas e de crianças a ir à escola, o número médio de anos de vida das pessoas, aumentou, em alguns casos em 20%.
é claro que tudo isto devido à ajuda humanitária.
enfim, estou a falar sem dados definitivos, mas hei-de tos fornecer mais completos. é um caso extraordinário, acho que mostra que afinal, governo não será tão obrigatório como pensámos.

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Por interessantes que sejam as opiniões do Tiago e o Manuel, o facto é que o Hugo, o Ruben, o Guimarães e eu já chegamos "à verdade".

Temos a dizer que é um sítio agradável, com boas praias e uma temperatura da água impecável, mas infelizmente não podemos revelar como se chega lá.

Aparecessem na cantina mais vezes ...

tiago ramalho disse...

Manuel, já agora faço-te três perguntas:
- apesar de em termos relativos essa república ter conseguido todas essa melhorias, em termos de desenvolvimento humano está a que nível?
- as sociedades mais avançadas conseguiram alcançar esse estádio com ou sem um poder que conseguisse alguma harmonia na desordem? na sociedade internacional não um poder central e o resultado é uma quase anarquia das relações internacionais...
- não representarão as ONG's, nessas republicas, o poder?

"de forma a combater a falta de boa informação, tens os blogues." Tenho muitas dúvidas...Há muito trigo e muito joio e nenhum critério que faça prevalecer o trigo em vez do joio.
abraço

canoas_o_Mercenário disse...

Eu pensava que fosse um sito diferente ary... Quando la estive.... (E saí porque as vezes é chato saber sempre a verdade... Tira o sal à vida)

Eu não vi praias, quer dizer... é um misto... Tem mts montanhas com neve... um vulcão inativo com uma bela duma caldeira com agua mm quente...
Acho k o mais proximo da verdade é um sitio chamado PALAWAN, uma ilha mt bonita por acaso..

canoas_o_Mercenário disse...

Cheira-me que voces se enganaram no caminho...
Deviam ter virado à esquerda no caminho..
FWAhahahhahahhahahha

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Muito joio e pouco trigo, muita parra e pouca uva. A blogoesfera, os jornais e os comentários do canotilho.

Pedro Sá disse...

Ary andas mm desaparecido tu...há MESES !

Enviar um comentário