quarta-feira, 13 de agosto de 2008

a importância da História

Visto que é uma questão que me afectou um pouco, venho discutir o texto do Duarte em forma de post e não em comentário. Não sei se isso dificulta a discussão (agora há 2 caixas de comentários, o que se pode comprovar confuso) mas a verdade é que achei que este assunto merecia MESMO um esclarecimento e/ou debate de uma parte contrária.
De facto, o Duarte mostra logo no título um certo complexo de inferioridade que é visto nos defensores do regime de Putin, esta suposta ligação ao medo do comunismo, ao ódio ao comunismo.
De facto Duarte, o comunismo não trouxe nada de bom à Rússia, o Estalinismo não trouxe nada de bom ao Mundo, os sovietes não foram uma coisa muito bem pensada no que toca a Democracia e Estado de Direito.
Mas nem é aí que fica a batata falaciosa. O grande problema é o Canotilho apresentar, (algo que tem em comum com os comunistas, diga-se de passagem), uma estranha noção de que a história começou ou no nascimento de Marx ou na revolução de Outubro de 1917. Tudo o resto para trás são diferentes estados da evolução da sociedade humana que iriam terminar, indubitavelmente, na sociedade sem classes, após a queda do capitalismo (como se viu, anos mais tarde, em 1989 em Berlim).
Infelizmente o hegelianismo não se aplica à história muito bem, e de facto há que procurar causas das coisas no passado. Alguém disse que o passado mais não era que uma prefiguração do futuro, penso que foi Mercia Eliade. E de facto, uma invasão da Geórgia por forças russas é algo que se vai repetindo por vários séculos.
E porquê? Porque a Geórgia possui uma das poucas entradas viáveis para o Mar Negro, alguns dos poucos portos bons. Eu vou linkando as páginas úteis para quem quer fazer uma verdadeira pesquisa sobre o assunto sem considerar apenas a cultura geral que sai nos nossos telejornais (que até ontem eram todos pró-Rússia, só hoje é que mudaram a opinião)
A Geórgia também é rica em minérios, e pode providenciar um corredor para energias combustíveis fósseis, que seria muito rentável se fosse controlado por amigos dos russos (até bem à pouco, isto por cá queria dizer PCP). E quando digo rentável, não me refiro só a russos.
E quando é que a Geórgia, essa safada, foi invadida pela Rússia, esse paraíso eslavo de pessoas bem-intencionadas?
No tempo dos Czares brancos, no tempo dos Czares vermelhos, e agora no tempo de um outro Czar, que eu chamaria de Czar KGB.

De facto, há várias perguntas a fazer sobre esta questão, e várias respostas.
De facto, já vi uma menção ao presidente da Geórgia de presidente "à lá americana". Não é bem assim, Hugo, acho que foste tu que escreveste isto. De facto, é a Geóriga que é considerada um amigo do Ocidente (que somos nós) por os seus ultimos governos agirem sempre nos interesses do seu povo, que tem sido a maior abertura aos nossos ideais de democracia liberal, estado de Direito, etc.
Isto é, obviamente, uma coisa má, porque o Ocidente não quer amigos.
O grande problema, é que ser amigo do Ocidente é uma grande merda (peço perdão pelo termo, mas não há outro suficientemente qualitativo), porque nós ocidentais somos uns maricas (com todo o respeito por aqueles que se possam sentir ofendidos por estas palavras). Como tal, quando um país europeu é invadido, ou um país europeu perde uma parcela enorme do seu território (logo a mais emblemática) nós escondemos a cabeça na areia e continuamos com a mania de que somos um povo muito solidário.
E agora, asério Canotilho, acusar a Geórgia de invasora? Mas... como é que a Geórgia pode ser a invasora?
De facto, o presidente da Geórgia até sabia isto, e quando viu as relações a azedarem com a Rússia, resolveu comprar uns tanques e criar um projecto de defesa militar (que não lhe valeu um cu, visto que os russos passaram pelos georgianos como manteiga barrada no pão).
A intervenção da Rússia foi providencial. Os separatistas da Ossétia não são heróis românticos. São etnicamente aparentados com os outros heróis românticos da Chechénia, ou seja, são ossos duros de roer que fervem em pouca água e batem nas mulheres.
Por isso, a Geórgia interviu, mesmo a tempo de ser prontamente interceptada por um exército de russos prontamente colocados na região e, vá se lá saber a sorte destes eslavos, armados até aos dentes.

A minha posição em relação a este conflito está explícita neste post do blogue Há Discussão. Acho que a melhor forma de acabar a minha argumentação com um pedido para que os interessados leiam as declarações do Presidente da Geórgia e dos Países Bálticos e Polónia.
De facto, o Tio Sam invade um país de 2 em 2 anos (é uma boa média).
Mas nunca um país onde imperasse o Estado de Direito ou em que o governante tenha sido democraticamente eleito. Isto não é uma desculpa. É só uma prova de que, o que se passa no Cáucaso, é algo totalmente diferente dos julgamentos precipitados que se pode fazer em relação à atitude da política internacional americana, que não é racionalmente chamada ao barulho para resolver esta questão.

10 comentários:

Tiago Ramalho disse...

1. Manel, como dizer. Concordo com muito do teu post. Discordo essencialmente do tom (e aí discordo em absoluto).

2. Do quem tenho escrito no blogue, saiu um texto chamado história e memória, e vem perfeitamente ao encontro do teu post, do teu título. Porque o trouxe à lembrança? Porque me irritam completamente abordagens reducionistas da realidade. Bons e maus. Pretos e brancos. Certos e errados. Sendo que uma dada realidade nunca é um relativo, mas um absoluto.

3. Não partilho dessa visão, e por isso me deu vontade de rir o texto do Canotilho. Tanta que nem o comentei. Porquê? Porque não acredito que seja possível acreditar naquilo, ter uma visão tão toldada do mundo. Acho que foi um texto escrito de cor, iluminado por velhos fantasmas, por dogmas e axiomas e teoremas de uma velha URSS e de um divinizado comunismo esbelto por fora e oco por dentro. Acho vivamente que aquele texto foi irreflectido, ainda que o autor o negue.

4. Infelizmente, parece que o Canotilho só dá voz a uma visão muito corrente na nossa comunidade. Uma facção que continua a querer só ver um lado. É vê-los a marchar contra o Iraque, é vê-los a marchar contra o Afeganistão, é vê-los a protestar contra Guantánamo. E depois, é também vê-los calados perante esta invasão russa, perante uma qualquer possível crítica regime estalinista (será preciso mais uma vez trazer estatísticas de vítimas do regime?), perante qualquer ataque terrorista perpetrado por palestinianos. A História não é tão simples, nunca é tão simples; como bem diz o Manel, há mais que tese, antítese e síntese (haverá agora marchas, vigílias, solidariedade entre todos os povos pela paz e contra a guerra?).

5. Essa é uma visão tão toldada em que uns são sempre indultados enquanto outros estão sempre na forca. Friso, repito, grito! Não partilho da mesma.

6. Estou evidentemente do lado georgiano. Pelas razões referidas pelo Manel.

7. Existe a palavra Imperialismo. “Os EUA são imperialistas”, “a Rússia é imperialista”. Porquê que se continua a dar um acento e um significado diferente quando se trata de um ou de outro? Irrita tanto, é tão estúpido, tão irracional. Como se a vítima de um ataque, um civil morto em guerra, valesse mais ou menos como homem consoante a origem da ogiva.

manuel disse...

o tom não é ofensivo Tiago. de facto, é engraçado reparar como há esta discrepância entre os alunos do segundo ano e do primeiro ano de direito (agora é mais segundo e terceiro ano) em relação ao uso da palavra. não posso dizer que há uma diferença de gerações, visto que um ano de diferença entre cada um de nós não constrói duas gerações diferentes, mas há sem dúvida um grupo de pessoas que difere do tom desafiador que emprega no discurso.
porque é só disso que se trata, de desafio. o uso de alguns palavrões é só para acordar os leitores.

quanto ao teu comentário em si, eu considero profundamente representante da minha opinião o teu ponto 3., aconselho até que o leiam no seguimento do meu parágrafo em que aviso o Duarte desta vitimização do comunismo.

de facto, Duarte, a minha opinião sobre o teu texto é mesmo esta:
"Acho que foi um texto escrito de cor, iluminado por velhos fantasmas, por dogmas e axiomas e teoremas de uma velha URSS e de um divinizado comunismo esbelto por fora e oco por dentro. Acho vivamente que aquele texto foi irreflectido, ainda que o autor o negue." não disse isto melhor, mas tentei.

Hugo disse...

Nem sempre temos que ser pretos ou brancos, há cinzentos...
Nem sempre há bons ou maus, há simplesmente jogos de interesses...
Penso que quem me conhece sabe que luto com afinco pelo que entendo que está certo, mas numa discussão tenho sempre muitas mais duvidas que certezas, e para mim é perda de tempo se no fim não tiver mudado nada da minha opinião e nao tiver aprendido um pouco com o outro lado. Pensa quantas vezes mudas-te de opinião numa discussão e saberás quantas foram realmente uteis ou quantas foram só jogos de força ,demagogia e simples contra argumentação...Às vezes acho que cais neste erro (e contra mim me confesso muitas vezes ao apanhar-me nestes jogos)

A geórgia não é santa, os eua também não, e já a Rússia apesar de referida pelos pastorinhos, foi apelidade de uma "senhora má".

E portanto infelizmente concordo com o Tiago, porque discutir com ele é do que mais gosto... :D

Agora defendo que mantenhas essa tua, chamemox "chama do jovem revoltado", é a tua trademark...

Sinceramente apenas acho que apesar da tua enorme qualidade, intocável até, cais no erro de escolheres sempre um lado e defenderes até à morte esse mesmo lado, sendo tudo que vem do outro um alvo a abater...

Provavelmente achas que ser neutro é uma granda seca...e até tens razão...

Mas a não ser que tenhas duas grandes palas é que vais defender aqui que a Rússia é a má da fita, a Georgia os pobres que se defendem e que o facto de ontem ter-me rido sozinho ao ver uma bandeira americana no meio dos protestos da geórgia, é fruto da minha estupidez de achar piada a coisas totalmente irrelevantes ou a simples coincidencias.

Hugo disse...

Atenção...não sou anti-americano(como está na moda) ou anti-russo...

Estou longe é de engolir as suas balelas de bondade e de defensores da paz...até porque a paz parece que só é precisa onde existe o ouro negro..é mais uma coincidencia...

manuel disse...

não é uma questão de defender uma posição até à morte hugo.
sinceramente, até me acho muito volátil no que toca a esse plano.demoro muito a mudar de opiniao porque exigo argumentos válidos. e essa da trademark entristece-me, desilude-me que me vejas assim. eu até sou um gajo meio reaccionario, calminho e rabujento, mas nao sou nenhum teenager problematico.
agora, o que se passa não é a sacralização da geórgia.
o presidente da geórgia tem os seus óbvios podres.
nem da demonização da rússia.
o que eu tentei demonstrar aqui é que a rússia embarcou numa reconquista do seu espaço de influencia. aquele espacinho soviético que dantes era garantido e que faz falta.
e um estado soberano foi invadido.
sem sombra de dúvidas, isto sim é que é de ficar revoltado.
e é imprssionante a falta de activismo em relação a isto.
um estado europeu, um estado de direito, um estado democratico, foi invadido.
nao te parece assustador?

Hugo disse...

Não é para te desiludires, pelo contrário...Sinceramente não há mta gente que goste de dar a sua opinião e a saiba dar, quer os outros concordem ou não. Ser inconformado é óptimo, e talvez nao me tenha explicado bem, até porque nao falo com propriedade de quem te conhece mt bem, tanto que empreguei o "acho" e nao o "és". Pareces-me bem cabeça dura, retira as qualidades ou os defeitos que quiseres tirar daí, é uma questão de perspectiva.

E a minha opinião não está tão longe da tua quanto isso, principalmente qd concordas com o ponto 3 do Tiago, daquelas coisas que eu queria dizer e disseram primeiro... :D

Abc

Hugo disse...

Mas voltando ao aspecto primeiro...que nao tamos aqui para discutir a tua personalidade! :D

Como disse, não estou totalmente por dentro neste tema mas nao me parece tão linear quanto o representado neste texto...

A Ossétia é da Geórgia? Tão simples quanto isso? Ou será um território que já à quase um século procura a sua independencia, já a proclamou inclusive só que não é actualmente reconhecida...O que torna o ambiente no mínimo duvidoso...

Consideras a Geórgia um estado europeu, um estado de direito, um estado democratico? Metes as mãos no fogo que não é apenas teoria?
Saakachvili estava a caminho de se tornar um belo autocrata nao? Enganei-me quando o referi a la americana, queria dizer sim, que era mais um que atropela com o apoio americano. Com um historial de tentativas de controlo sobre a oposição e os média...Eleito em 2004 com 95%dos votos, em 2008 com 53, tendo feito bandeira de recuperar a Ossétia e Abkázia.

Até agora defendi a Rússia? Espero que não...

Vamos ser sinceros, tirando a história dos bons ou maus, o EUA manipulam e a Rússia tenta contra-manipular, e a UE faz com que pareça tudo bem e vai tentando manter um certo controlo diplomático...
Obviamente que numa situação hipotética, preferia viver sobre a bandeira americana e que eles fossem os reis do mundo...e que se não existixe américa tb não tinhamos hollywood nem MTV...o que faz uma certa falta...:D

Sobre outro tema já, só uma pequena opiniao...Quando se diz que os EUA não invadiram estados considerados "correctos" ideologicamente e politicamente segundo a perspectiva ocidental, está certa essa afirmação...
Mas há aqui uma pequena confusão de papeis...
Há o mundo, depois há países, depois há merda entre países, e quem intervem tem que representar o mundo, que no fundo é mais importante de preservar do que qualquer soberania, pois antes de existirem países existe um todo mundial, e não podemos ter uma pequena ilha independente onde comemos criancinhas ao jantar...
O "Mundo" então deve intervir na sua defesa, sem retirar qualquer proveito e restabelecendo a paz e dirimindo o conflito...Mas quem é o EUA para representar o mundo, que poder divino lhe foi dado que sempre que nao concordar pode invadir um país e de lá tirar proveitos?

Actualmente o mundo não necessita de uma potencia teimosa e cabeça dura...em situações destas teriamx mt mais força se o "mundo" em conjunto tomaxe uma posição e a apresentaxe aos Russos e Georgianos...que mais nao podiam fazer do que quanto mt negociar...
Enerva-me profundamente o discurso de Bush de fazer da Georgia uns coitados invadidos e esquecer o que a Georgia já fez na Ossetia do Sul...E enerva-me ver uma bandeira americana no meio de protestos da georgia...Talvez uma bandeira branca a representar a paz, agora uma pessoa com a bandeira americana a dizer que é pacifista?Isto aconteceu mesmo...
Enerva-me durante uns 10 segundos para aí!

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

1. Canotilho, o maniqueista!

2. Eu já comentei isto noutro blog, mas "Valerá a pena uma acção internacional? Não levaria isso à escalada da violência? Aquilo a que tu chamas cobardia ou hipocrisia não será bom senso? Eu acho que sim ..."

3. Vale a pena lembrar as palavras do cardeal Richelieu: "Não há inocentes onde quer que haja culpados" ... ele lá sabia do que falava ...

4. Ou então, lembrar as do Hugo, que dizem praticamente o mesmo, sem nos fazerem pensar na matéria de Penal: "Nem sempre há bons ou maus, há simplesmente jogos de interesses..."

5. É óptimo ver que se continuaram a matar sem mim durante as duas últimas semanas =).

manuel disse...

a resposta ao ary já está no outro blogue, que é o Há Discussão.

quanto às provincias da abecázia e da ossétia, é dificil imaginar que estados tão exíguos, por serem maioritariamente (não predominantemente) povoados por tribos ossétias ou abekhazes, tenham direito à independencia. de facto, eles já tinham direito à sua autonomia. parece que a rússia agiu numa espécie de neo-descolonização que pode servir tão bem para o kosovo sérvio, a catalunha espanhola e os nossos açores e madeira.
e sim, o presidente da geórgia (tem um nome desgraçado o homem) é de direita. é também um conservador. porque quer conservar as fronteiras do seu país :) isso não faz dele um vilão.

e acho que é necessário tomar uma opinião sólida sobre este assunto. eu tomo-a porque vejo mais uma terrível forma de desrespeitar a soberania de um estado. acho que a europa está a passar tempos dificeis de falta de personalidade.

canoas_o_Mercenário disse...

Felizmente k o manel n me conhece... caso contrario podia continuar a dizer falacias sobre as minhas concepçoes de sociedade!!! Ok Manel!! Espero k estemos esclarecidos... pois estar a por palavras ou ideias na minha boca n é boa ideia!!!

1. Discordo do teu post! na maioria
Quando escrevi o meu post a Russia estava a salvar a ossetia do sul
Mas agora a minha posição mudou ligeiramente.. eu n quero a Russia a degenerar nuns EUA à la George Bush.. Daí k condene veemente a invasao de GOri etc. mas n condeno a entrada na ossetia do sul...

2. A ossetia é um estado sobre administraçao da ONU, O presidente Georigano nos seus discursos prometeu recuperar esses territorios. Vá la ainda k n se concorde com a russia tem de se concordar k a georgia n tinha nada k atacar a ossetia correcto

3. O tiago mais uma vez (qual paladino dos Eua defendeu k eu era da facçao anti Eua) é verdade k eu condeno os Eua eles contradizem-se a toda a hora... ainda agora Condolezza rice condena a russia por querer(na opiniao dos eua) chegar a tblissi e destronar o presidente vigente! como em 1968. Algo que aquando da URSS eu tb condenaria... mas os EUA esquecem-se de Granada, Panama, Iraque, Somalia... Estas intervençoes onde os EUa so intervieram pk os seus lideres ja n interessavam... Estranho n é agora condenarem a russia
4. é verdade e concordo com o Ary na sitaçao do richlieu.. Verdade k eu tb sou mais pro russia do k eua, verdade k n há pretos nem brancos, mas tal como tantos k se alinham com os Eua eu alnho com a russia... n significa k alinhe com tudo o k dizem

5. Para n dizerem k eu sou incoerente nas minhas posiçoes.. eu acho k se um genocido estivesse a ser feito no mexico.. condenaria a russia por se meter la.. tal como condeno os Eua por se estar a meter na zona de inflencia da russia!!!!!!!
Acho k agora è hora de ver o k vai acontecer....
MAs digo e repito k os Eua meterem-se em tudo e mais alguma coisa... Quando um pais tem petroleo(pois se n tiver petroleo bem podem morrer os k kiserem) invadem e metade da comunidade internacional aceita... se é a russia ja ta tudo mal... Acho k ainda vendo do prisma k n há pretos nem brancos... mas a verdade é k há um certo preconceito realtivamente À russia!

Ps.. CZAr Putin... Manel vai dormir.. um monarquico a falar assim...!!

Enviar um comentário