domingo, 7 de setembro de 2008

pede-se uma discussão vagarosa, pausada, e ampla

pede-se uma discussão Aparentemente abri a caixa de Pandora dos textos sobre as presidenciais americanas.
No Sociedade de Debates, Pedro Ary escreve que "não podia discordar mais veemente" das coisas que eu digo, em relação a Palin e a Obama, no meu texto.
A primeira discordância, penso eu, reverte para as causas da aposta em Palin. A segunda, para o carácter da vice-presidência.
O discurso do Ary para criticar Palin é, como se pode ver com o mínimo de cuidado, baseado em pressupostos que foram adoptados por toda a opinião Democrata.
De facto, já ouvi todo o tipo de críticas a Sarah Palin, e gostava até de juntar um role de acusações à lista dos terríveis actos desta senhora, que pelos seus actos corresponde, obviamente, a uma Jack Estripadora:
Sarah Palin acredita que o Mundo se fez em 7 dias e vai fazer com que as pessoas reconheçam isso (aparentemente, não é bem assim)
Sarah Palin tem uma filha grávida, e é conservadora.
Sarah Palin acredita em Deus.
Sarah Palin levou McCain a ver o seu serviço Vista Alegre, ao que este respondeu muito admirado, "a senhora é mais rica do que eu".
Sarah Palin, escreve o Ary, é contra os preservativos (oh Deus, gosta de quecas ao ar livre e vai obrigar TODA a gente a fazer sexo da forma que ela quer).
Sarah Palin é a favor da abstinência, e tem cinco filhos, portanto pode ser que, ou ela se refira de abstinência de sexo antes do casamento, ou seja tudo uma grande treta da propaganda Democrata.
Sarah Palin fez alguma coisa ao gajos da MoveOn.org, visto que estes fazem uma data de acusações à senhora nos emails que mandam para todos os seus membros (entre os quais estão muitas das críticas apontadas pelo Ary, inclusive a tal ponte que não dá para lado nenhum).
Penso que, se a discussão eleitoral cair no mesmo jogo sujo que republicanos e democratas fazem, com as suas acusações mesquinhas e relegadas ao foro pessoal, não haverá discussão que se conseguirá manter. No entanto, penso que os que levam o estandarte Democrata avante, se em Portugal procurassem o mesmo sucesso com o mesmo esquema, não o iriam conseguir. De facto, todas as tentativas usadas por adversários políticos em Portugal para denegrir a imagem pessoal do rival passam despercebidas pelo povo português. Uma prova disso foi as campanhas do PS para atacar Francisco de Sá Carneiro por causa do seu relacionamento com Snu Abecassis terem acabado em complet insucesso. De facto, os portugueses vão mantendo um certo bom gosto que falta já ao público americano. E depois da novela de Sarkozy e Bruni, penso que é algo que também é partilhado por franceses.
Enquanto nos pudemos manter de vista clara e sem intrusões mediáticas podemos observar a realidade tal como ela é, sem filtragens do jornalismo americano. Sarah Palin tem, sem dúvida, mais provas dadas que Obama.
Obama pode muito bem ser advogado. E parabenizo-o por isso. Mas na verdade, nunca exerceu advocacia (ele orgulhou-se disso para atacar Hillary).
Para além de Senador do Estado do Illinois e dos EUA, Obama não tem mais experiência executiva ou legislativa. De facto, isto costuma ser a grande causa da derrota dos candidatos que foram senadores. E assim, em factos concretos, adicionando o facto de Obama ter sido Professor temporário, a experiência de Obama acaba por aqui.
O que Obama fez como senador é, por isso, a sua maior cartada. O Ary fala em legislação pela Saúde e medidas para baixar impostos e combater a corrupção. De facto, Sarah Palin fez isso tudo. E tem provas feitas no Alasca, que parece estar um sitio arrumadinho. Além do mais, a mulher reduziu o próprio salário e reduziu o imposto sobre a propriedade em 60%! A própria acusação contra Palin da sua extremosa religiosidade não vei muito longe, devido às intimidades que Obama partilhou com o Pastor Richards, o pastor mais racista da América.
Por isso, já vai tarde a demonização de Palin. Já vai tarde porque os republicanos não foram anjinhos e aprenderam a mexer-se. Ao lado da sacralizada figura de Obama, está uma Palin forte, cujos pontos de vista sobre a sua inexperiência estão todos comprovados como falaciosos. O que resta é o ataque pessoal. E é o que se tem feito, agora com menos intensidade porque a Obama interessa-lhe os votos das "hockey mom's" e com o andar dos seus apoiantes, arrisca-se a perder esta importante minoria.
Já expressei o meu ponto em relação a Palin antes, e não sou um apoiante. Mas como também não tenho simpatia por Obama no presente momento, não me parece justo ficar calado quando o Páis engole todo o tipo de patranhas vindas do lado de lá. Talvez me tenha tornado insensível à procura de heróis, mas nos dias que correm todo o cuidado é pouco, e os heróis dos tempos antigos não se revelavam em meses, eram antes homens normais e mortais, que estiveram lá quando a situação o exigiu. Obama é somente um candidato endeusado por um país necessitado de símbolos, de significado para as suas instituições. Isto deve-se talvez ao facto de as posições dos republicanos se terem extremado, e com eles a política local americana, e por os democratas se terem elitizado.

PS: Palin que se aconselha votar está aqui



textos relacionados:
Sobre a Loucura que se ouve do outro lado - Manuel Marques Rezende

Ela, de facto, desancou Obama - Manuel Marques Rezende

7 comentários:

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Manuel,

1. Não discordava de tudo no teu texto.

2. "O discurso do Ary para criticar Palin é, como se pode ver com o mínimo de cuidado, baseado em pressupostos que foram adoptados por toda a opinião Democrata." E qual é o problema?

3. O teu bom-humor não torna o assunto menos dramático por muito que o desdramatize. Quando alguém chega a um lugar onde pode influenciar quem imanda ensinar x, obrigar z ou proibir , então as suas convicções pessoais são relevantes e muito.

4. Eu não queria que se ensinasse o criacionismo como teoria científica. A ignorância afronta-me pessoalmente.

5. Eu sou catequista ... acho que ela acreditar em Deus não é coisa que me choque.

6. Não é contra os preservativos por não gostar deles, por serem incómodos ou porque é alérgica ao latex. É contra porque acha que não se deve impedir as crianças que Deus manda de nascer.

7. As minhas críticas não são jogo sujo, são a exposição de factos que me preocupam. Eu não falei da vida pessoal da senhora na medida em que esta não interessa para a vida pública, mas na estrita medida em que esta interessa.

8. Obama ter várias referências à sua participação numa "small law firm". E se bem me lembro ele atacou Hilary não por ser advogada mas estar envolvida com as grandes sociedades que mexem com os grandes interesses, no fundo a dois passos de serem lobbies.

9. E achas pouco ser senador? Com o trabalho desempenhado? Professor temporário? Ele foi professor durante vários anos em diferentes universidades, leccionando diferentes disciplicas incluindo "civil rights" e "constitutional law", nomeadamente em Harvard. Também foi, durante vários anos, organizador de campanhas a favor de populações marginalizadas em Chicago. Podes desvalorizar isso, eu valorizo.

10. O Alasca já era um sítio arrumadinho, até porque não há muito para arrumar: Aquilo pode ser grande como tudo, mas está tudo em meia dúzia de cidades. Um total de 660 mil habitantes. Uma Sevilha mais pequenina espalhada por um terreno 15 vezes maior que Portugal.

11. O imposto para a propriedade é dos melhores imposto para se subir e a sua descida só beneficia quem não precisa, a não ser que seja feita de forma muito complexa. Pergunta a qualquer economista que ele explica-te porque. Ou vem falar comigo na segunda...

12. Que bomba: "o pastor mais racista da América!" Manuel, controla as tuas palavras. Esse pastor em causa até pode ser racista, mas tem um trabalho excelente pela comunidade em que está inserido e é um orador muito interessante. Aliás repara que a tua crítica não se prende com religiosidade extrema, como dizes, mas com racismo. A única coisa que se tira daí é que ele se dava com um racista e não que ele é um fanático religioso. Não tens amigos racistas? Eu tenho ...

13. FALACIOSOS?!?!?!?!?!
Manuel! Como podes dizer isso! A+B=Ela é inexperiente! Absolutamente, completamente, absurdamente, totalmente, ridiculamente, bué da totil de inexperiente! Não provaste a sua experiência em nada do que é relevante. A menos que ser uma "hockey mom" conte para ser eleita. Acho que também me vou candidatar à Sociedade de Filatelia por causa da minha experiência na área dos pastéis de nata!

14. Heróis, dizias tu, eram "Homens normais e mortais, que estiveram lá quando a situação o exigiu". Obama não é mais do que isso. Um Homem normal, com um percurso complexo e uma história improvável, mas que se lançou para a frente depois de oito anos terríveis com Bush à frente da Casa Branca em que os EUA perderam e fizeram ao mundo perder em todas as frentes.

15. Acabaste por não comentar o que eu disse relativamente à vice-presidência e por não rebater muitos dos meus argumentos, acredito portanto que os aceites.

Canoas_o_mercenario disse...

Subscrevo ary!

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Obrigado Canotilho =)

manuel disse...

Ary,

1. ainda bem que não discordavas de tudo.

2. não há problema nenhum.

3. infelizmente o lugar de palin não lhe permitirá obrigar ou proibir grande coisa, e mesmo que o faça, há toda uma constituição americana que trata da separação dos poderes da res publica, portanto não há assim tanto a temer no que toca ao problema de criar uma nação cristã.

4. aprecio muito que a ingorância te afronte. aparentemente, nos EUA, o criacionismo tem muitos fãs. e não há ciências exactas, por isso...

5. ainda bem que acreditar em Deus não te choca, pois isso dificultaria sobremaneira o teu trabalho como catequista.

6. agora sou eu que digo "e qual é o problema?"

7. eu não te acuso de jogo sujo. mas as críticas a palin, que não são monopólio de ninguém, são muito sujas. sinceramente, é uma prova de que a política já não possui nada de cavalheiresco.

8. huuuummmm... isso parece-me muito pavloviano.

9. não, não acho que ser senador não é pouco. no entanto, o que Obama fez enquanto senador, não foi muito.

10. ao menos, o Alasca deu a Palin uma oportunidade de ganhar alguma experiência enquanto membro de um executivo...

11. está bom... mas 66%? não foi uma descida, foi uma extinção.

12. eu não disse que Obama era racista por conhecer o pastor richards. só estou a dizer que, pelo actual jogo de "diz-me com quem andas e eu digo-te quem és" os democratas não têm muito a ganhar. a nação do islão também é um grupo que faz muito pela comunidade negra. o que não faz deles menos maluquinhos, vai ver uns vídeos ao youtube sobre o Pastor Richards, ary. e verás que não é bomba nenhuma.

13. são sim falaciosos ary. porque há uma coisa que, ao que parece, os apoiantes de Obama se esquecem. é que nos EUA existe uma igualdade que não envolve só a igualdade económica, como é pregado nestas pobres terras. é a igualdade sobre a lei, e a igualdade, digamos política. é o que faz uma hockey mom ser vice-presidente. é o que faz o filho de um dono de uma bomba de gasolina de boliqueime chegar a presidente da república, e não só guarda os lugares de direcção para JFK's negros e poetas-presidentes. pensava que tu, sendo da esquerda, eras mais sensível a este tipo de coisas.
(chama-lhe demagogia, agora)

14. ainda é muito cedo para avaliar Bush.

15. sobre esse assunto não há mesmo muito mais a divulgar. tu disseste o que era para ti a vice-presidência. eu disse que, ao longo da história dos EUA, em trinta e poucos presidentes, penso, ouve 18 vezes em que não ouve vice-presidentes. e o senado, a comunicação social, toda a república, sobreviveram.

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Manuel,

1. Se confias assim tanto na constituição, então deve ser para ti mais ou menos indiferente quem é Presidente ou Senador ou qualquer outra coisa. A constituição dos EUA é, como quase todas as outras, bem adaptável a diferentes modelos e a diferentes concepções de sociedade. E, sendo uma constituição breve e antiga, mais "interpretável" é. Para mais com as pessoas que estão neste momento no "Supreme Court", um Tribunal muitíssimo mais politizado que o nosso homólogo.
Recordo que nos anos 50 foi alterado o lema dos EUA de "Et pluribus uno" para "In God we trust", que muitos Estados continuam a proibir o ensino do evolucionismo nas escolas públicas ou que ainda há muitos juramentos em cima da bíblia em cerimónias oficiais. As coisas que continuam possíveis com uma constituição...

2. "aprecio muito que a ingorância te afronte. aparentemente, nos EUA, o criacionismo tem muitos fãs. e não há ciências exactas, por isso..." Qual é o argumento aqui? Há algum? Estás a tentar provar exactamente o quê?

3. Manuel, eu torço um bocado o nariz à educação sexual, mas depois do teu sexto ponto acho que precisamos dela no ensino universitário.

4. Algumas críticas são. Mas não me viste a usar a gravidez da filha, por exemplo ...

5. Não percebi o oitavo ponto.

6. Se metade dos senadores fizesse o mesmo, especialmente no seu primeiro mandato, tinhamos um senado bastante mais interessante. E tendo um senado republicado mais complicado fica.

7. Acho que o António Costa devia concorrer à Presidência dos EUA...

8. Quanto às coisas dos impostos: a propriedade é das melhores coisinhas para se taxas, porque, entre outras vantagens: tem alguma correlação com os rendimentos dos proprietários, sendo um bem com oferta mais fixa gera menos distorções no mercado, é relativamente fácil de controlar a cobrança, não se pode mandar um terreno para as ilhas caimão. Se ela quer cortar nos impostos tudo bem, mas podia tê-lo feito de uma outra forma.

9. Eu já vi videos dele. Ele é muito agressivo. Ainda assim acho que ele é mais revoltado que racista. Ele não odeia brancos, ele está revoltado contra eles. Nunca o vi apelar à violência, ou fazer comentários de ódio, simplesmente irritar-se. Quanto à Nação do Islão, não tenho uma opinião assim tão má daquilo para te ser sincero. Claro que são fanáticos, mas não me parecem perigosos. Além do mais é muito diferente: é não critiquei a Palin por ter amigos radicais, mas por ser radical. É completamente diferente.

10. MANUEL. A sério ... respira fundo e pensa no que escreveste no ponto 13... Esse argumento é tão tão tão tão demagógico e retorcido. Não respondeste ao que eu disse. Supuseste palavras que eu não disse. Puseste ideias na minha cabeça que não estão lá. E mais: conseguiste fazer aquilo que a direita mais desprezível tantas vezes faz para denegrir a esquerda ao confundir igualdade de oportunidades com igualdade de resultados.
Para a esquerda, e para mim, o que interessa é que as pessoas tenham iguais oportunidades para seguir o seu caminho e serem felizes não fazendo os outros infelizes.
Acho que concordamos nisto: igualdade perante a lei é essencial para uma igualdade na prátiva porque é o primeiro passo para esta.
Para mim é essencial que numa sociedade não haja a ideia de que eu nunca poderem ser x porque y. Tudo deve ser possível a toda a gente. E a tua ideia parte daqui mesmo, eu sei. Aliás era por essas e por outras que em Atenas a Assembleia dos 500 era escolhida por sorteio. Todos tinham iguais possibilidades. Mas nós não estamos a sortear uma pessoa, estamos antes a elege-la e essa eleição pressupõe uma escolha, que deve ser racional e de modo a que sirva da melhor maneira as nossas necessidades. Qualquer hockey mom deve ter o direito a ser eleita (igualdade perante a lei) e não deve partir de uma situação de desvantagem nessa corrida (igualdade de oportunidades) mas isso não quer dizer que as competências sejam irrelevantes. Isso é aliás a total inversão de ... de tudo! Desde a selecção natural à economia de mercado, passando pelos jogos olímpicos para chegar à próprio sentido da vida.
Para mais, quando falo de igualdade de oportunidades falo à partida e não a meio do caminho. As pessoas não nascem hockey mom's, tornam-se hockey mom's, não questiono a opção, a sério que não, mas é normal que se vai para humanidades não tenhas as mesmas hipóteses de ir para medicina.
Faz-me lembrar aquela frase: "Eu quero um líder em quem me possa rever: um líder que seja como eu, ou pior".
Acho que não tenho de bater mais no ceguinho e espero que te vás esconder num buraco bem fundo e que eu não te veja outra vez =)

11. BUSH?Há alguma coisa boa que ele tenha feito? Lembras-te de alguma aliança que ele não tenha destruido? De alguma estatística económica que não esteja pior? De alguma grande obra? De algum grande discurso? O homem é um fiasco em todas as linhas.

manuel disse...

honestamente, penso que caí nessa falácia da "hockey mom". de facto, o ary tem razão nesse ponto sobre a igualdade.
tenho de dar a mão à palmatória nesse assunto.

Pedro Ary Ferreira da Cunha disse...

Manuel, aprecio muito a honestidade intelectual.

Enviar um comentário